Categoria: Alvina Nunes Tzovenos

Mostrando postagens com marcador Alvina Nunes Tzovenos.
Voltar para a página anterior

As duas flôres (Alvina Nunes Tzovenos)

As duas flôres
(Alvina Nunes Tzovenos)

Duas flôres enfeitam
o jardim de minha existência.
Ambas me encantam
diferindo em destinos a vivência.

São duas as Margaridas.
Compará-las? Ó, quão diferente!
A primeira altiva e com vida,
a segunda curvada e doente.

– Desabrocha pétalas
de vida e beleza esfusiante.
– Fenece pétalas
sorrindo à morte a cada instante.

Fruto de minha carne,
a primeira é tão esperançada!
Sou fruto da outra carne,
vida já cansada!

Em Sonhos e Vivências/Alvina Nunes Tzovenos, 1ª edição, Editôra Bels Ltda.,
Pôrto Alegre (RS), Brasil, 1971, pág. 53.

Dilema (Alvina Nunes Tzovenos)

Dilema
(Alvina Nunes Tzovenos)

Sofrer amando
é ter olhos em eterna crença
do ideal
a viver cantando!

Não amar e não sofrer
é ter mãos postas
na prece sem crença
e morrer!

Sofrer amando,
é, nas estrêlas, a ilusão beijar
quando nuvens já querem chorar…

Não amar e não sofrer
é cantar
e gritar:
– quero sofrer amando
e a rosa…
colhêr
machucada entre os espinhos.

Em Sonhos e Vivências/Alvina Nunes Tzovenos, 1ª edição, Editôra Bels Ltda.,
Pôrto Alegre (RS), Brasil, 1971, pág. 39.

Tuas flôres (Alvina Nunes Tzovenos)

Tuas flôres
(Alvina Nunes Tzovenos)

Ontem chegaste
e eu chorava.
Era bem um contraste!
Trazias na mão
flôres tão lindas
plenas de expressão:
lilazes,
miúdas e matizadas!

Tuas flôres
arco-íris
após tempestades
trouxeram-me risos!
Desde que nos amamos,
há tantos anos,
em muitas ocasiões
tuas flôres
transbordam
minhas ilusões!

Tuas flôres:
gestos de amôres,
renascendo,
revivendo,
trocando meus prantos
em círios de louvores!

Em Sonhos e Vivências/Alvina Nunes Tzovenos, 1ª edição, Editôra Bels Ltda.,
Pôrto Alegre (RS), Brasil, 1971, pág. 101.

Send this to a friend