O agora é nostalgia – XII (Antonio Kleber Mathias Netto)

O agora é nostalgia
XII
(Antonio Kleber Mathias Netto)

Por mais que os meus sentidos relutantes
procurem te esquecer, eu não te esqueço.
Traduzo-me em sofrer agonizante,
virando a minha vida pelo avesso.

A luz da espera vã me ofusca o senso,
levando ao descompasso o coração.
Sobra da luta ingente que não venço,
o amargo mais profundo e a frustração.

Compreendo que o amanhã será outro dia,
outras serão as veias do sentir,
neste processo rude do esquecer.

Ocorre que o agora é nostalgia,
desejo insatisfeito a me aturdir;
solidão sem fronteira a me render.

Em Quarenta Sonetos Sem Pecado/Antonio Kleber Mathias Netto,
Editora do Autor, Rio das Ostras (RJ) Brasil, 1997.

Você pode gostar...

Send this to a friend