As rosas XV (Rainer Maria Rilke)

 

As rosas
XV
(Rainer Maria Rilke)

Sozinha, oh abundante flor,
tu crias teu próprio meio;
tu te miras num espelho
de odor.

Teu perfume é outra pétala que contorna
teu cálice inumerável.
Eu te pego, tu te mostras,
atriz prodigiosa.

Em As rosas/ Rainer Maria Rilke; tradução e prefácio Janice Caiafa,
Livraria Sette Letras Ltda., Rio de Janeiro, (RJ) Brasil, 1996, pág. 49.

Você pode gostar...

Send this to a friend