As rosas I (Rainer Maria Rilke)

As rosas
I
(Rainer Maria Rilke)

Se teu frescor por vez tanto surpreende,
radiosa rosa,
é que em ti mesma, por entre,
pétala contra pétala, tu te repousas.

Todo desperto, cujo meio
dorme, enquanto inúmeras se tocam
as carícias quietas desse coração cheio
que terminam na extrema boca.

Em As rosas/ Rainer Maria Rilke, tradução e prefácio Janice Caiafa,
Livraria Sette Letras Ltda., Rio de Janeiro (RJ) Brasil, 1996, pág. 21.

Você pode gostar...

Send this to a friend