Dueto (J. G. de Araújo Jorge)

Dueto
(J. G. de Araújo Jorge)

Bendita sejas tu, que escancaraste
uma janela em minha solidão,
e trouxeste com a luz, esse contraste
de luz e sombra em que meus passos vão…

Bendita sejas tu, que me encontraste
como um mendigo a te estender a mão,
e que inteira te deste, e assim, tornaste
milionário o meu pobre coração…

Bendita sejas tu, que, de repente
fizeste renascer um sol no poente
reacendendo esse ardor com que arremeto

e com que espero novamente a vida,
e transformaste, sem saber, querida,
a cantiga do só… num canto em dueto!

Em Os mais belos poemas que o amor inspirou IV/ J. G. de Araújo Jorge, 4ª edição,
Editora Rideel Ltda., São Paulo (SP) Brasil, pág. 107.

Você pode gostar...

Send this to a friend