Poema Segundo (Adalgisa Nery)

Poema Segundo
(Adalgisa Nery)

Quero te acariciar infinitamente para te fazer sofrer.
Quero que saibas, ainda mais,
o que seja a gloriosa alegria do amor
e o desalento profundo de viver.
Quero que meu corpo seja para os teus sentidos
como o pensamento
constante que domina e aprisiona
todos os momentos,
quero que tua nostalgia
viva em teu olhar recordando minha voz
no largo silêncio da noite
e nas mudanças do dia.
Quero que únicamente te libertes de tua inquietação
quando me sentires abandonada e tímida
perdida em teu corpo
para o amor sem limitação.

Da obra original Cantos da Angústia (1948)/ Adalgisa Nery.
Extraído de Mundos Oscilantes – poesia reunida/ Adalgisa Nery,
Livraria José Olympio Editôra S.A., Rio de Janeiro (RJ) Brasil,
1962, pág. 139.

Você pode gostar...

Send this to a friend