O último escombro florido (Onestaldo de Pennafort)

O último escombro florido
(Onestaldo de Pennafort)

Quando eu chegava à tua casa, quando
entreabria o portão do teu jardim,
alvoroçada e como as pombas voando,
vinhas rindo e correndo para mim.

Eu te beijava muito e te beijando
sentia o teu aroma de jasmim.
Eras a flor de caule esguio e brando
que mais se alvoroçava no jardim.

Mas tudo isso se foi… E ontem, passando,
por tua casa, ao ver o teu jardim
que a hera daninha, aos poucos, foi matando,

pensei em ti, no nosso amor, em mim.
Em nós também — eu já nem sei mais quando —
houve uma cousa que morreu assim.

Da obra original Recapitulações/ Onestaldo de Pennafort (1934).
Extraído de Poesia/ Onestaldo de Pennafort,
Distrib. Record de Serv. de Imprensa S.A., Rio de Janeiro, (RJ) Brasil,
1987, pág. 149.

Você pode gostar...

Send this to a friend