Apolo Musageta (Sophia de Mello Breyner Andresen)

Apolo Musageta
(Sophia de Mello Breyner Andresen)

Eras o primeiro dia inteiro e puro
banhando os horizontes de louvor.

Eras o espírito a falar em cada linha
eras a madrugada em flor
entre a brisa marinha.
Eras uma vela bebendo o vento dos espaços
eras o gesto luminoso de dois braços
abertos sem limite.
Eras a pureza e a força do mar
eras o conhecimento pelo amor.

Sonho e presença
de uma vida florindo
possuída e suspensa.

Eras a medida suprema, o cânon eterno
erguido puro, perfeito e harmonioso
no coração da vida e para além da vida
no coração dos ritmos secretos.

Em Poesia/ Sophia de Mello Breyner Andresen, 5ª edição,
Editorial Caminho S.A., Lisboa, Portugal, 2005, pág. 18.

Você pode gostar...

Send this to a friend