Apesar das ruínas e da morte (Sophia de Mello Breyner Andresen)

Apesar das ruínas e da morte
(Sophia de Mello Breyner Andresen)

Apesar das ruínas e da morte,
onde sempre acabou cada ilusão,
a força dos meus sonhos é tão forte,
que de tudo renasce a exaltação
e nunca as minhas mãos ficam vazias.

Em Poesia/ Sophia de Mello Breyner Andresen, 5ª edição,
Editorial Caminho S.A., Lisboa, Portugal, 2005, pág. 9.

Você pode gostar...

Send this to a friend