Serenata Aérea para Sasuku Asakura (Olga Savary)

Serenata Aérea para Sasuku Asakura
(Olga Savary)

A despedida é, em si mesma, morte
— e aqui estou eu só para a verificação.

Ali ainda agora era o sortilégio
oriental — menos palavra que gesto —
em despedida conclusa.

(Então decido
que com o afastamento
esta história sem astúcia tenha fim.)

Esta é a tua morte
que carrego
atravessando cidades aéreas
e entre nós deixo ficar
inevitável rebanho de nuvens.

Da obra original Espelho Provisório (1947-1970)/ Olga Savary.
Extraído de Repertório Selvagem: Obra Poética Reunida/ Olga Savary,
MultiMais Editorial Produções Ltda., Rio de Janeiro (RJ), Brasil, 1998, pág. 42.

Você pode gostar...

Send this to a friend