Poema da Amante (Adalgisa Nery)

Poema da Amante
(Adalgisa Nery)

Eu te amo
antes e depois de todos os acontecimentos,
na profunda imensidade do vazio
e a cada lágrima dos meus pensamentos.
Eu te amo
em todos os ventos que cantam,
em tôdas as sombras que choram,
na extensão infinita dos tempos
até a região onde os silêncios moram.
Eu te amo
em tôdas as transformações da vida,
em todos os caminhos do mêdo,
na angústia da vontade perdida
e na dor que se veste em segrêdo.
Eu te amo
em tudo que estás presente,
no olhar dos astros que te alcançam
e em tudo que ainda estás ausente.
Eu te amo
desde a criação das águas,
desde a idéia do fogo
e antes do primeiro riso e da primeira mágoa.
Eu te amo perdidamente
desde a grande nebulosa
até depois que o universo cair sôbre mim
suavemente.

Da obra original As Fronteiras da Quarta Dimensão (1951)
em Mundos Oscilantes – poesia reunida/ Adalgisa Nery,
Livraria José Olympio Editôra S.A., Rio de Janeiro (RJ) Brasil, 1962, pág. 231.

 

Você pode gostar...

Send this to a friend