Jardim de sensações (José Eduardo Mendes Camargo)

Jardim de sensações
(José Eduardo Mendes Camargo)

Deslumbrado e indeciso
encontrava-me diante de um jardim.
Queria colher uma flor.
Enquanto meus olhos fitavam
a exuberância da Hortência,
a brisa dava graça aos movimentos da Margarida
e espalhava o aroma forte da singular Angélica;
e da Rosa, sempre dela,
emanava um clima de paixão.

Sorrateiramente, tu chegaste
e me colheste na plenitude de meus sentidos.

Em Sonhos/ José Eduardo Mendes Camargo,
Massao Ohno Editor, São Paulo (SP), 1991, pág. 47.

Você pode gostar...

Send this to a friend