Saudade II (J. G. de Araújo Jorge)

Saudade
II
(J. G. de Araújo Jorge)

Tantos tiveram tudo que sonharam…
Tantos tiveram mais, sem merecer…
Ricos, colheram muito, e não plantaram,
e se foram, inconscientes, sem saber…

Tantos foram felizes… Alcançaram
o inesperado: amor, glória, poder;
e tão pouco fizeram, ou tentaram,
foi só erguer a mão para colher.

Nós, entretanto, que semeamos tanto
vamos colhendo, amor, um quase nada
em seara inútil, nesse ansiar sem ter…

E ao fim, que nos restou, no desencanto?
— Esta saudade triste e desfeiteada
do que sonhamos mas não pôde ser!

Em Os mais belos poemas que o amor inspirou IV/ J. G. de Araújo Jorge,
4ª edição, Editora Rideel Ltda., São Paulo (SP), pág. 160.

Você pode gostar...

Send this to a friend