Estrela-Cadente (J. G. de Araújo Jorge)

Estrela-Cadente
(J. G. de Araújo Jorge)

Ela que foi um canto de alegria
a Musa do que escrevo em seu louvor,
que pôs um véu azul de fantasia
sobre o sonho impossível dêsse amor…

Que foi luz, que foi som, beleza e cor
no meu mundo fugaz de cada dia,
que foi tudo afinal: perfume e flor
numa vida monótona e vazia…

Que está presente no meu pensamento
como uma onda em vai-vem na praia, ou
uma estrela a luzir no firmamento…

Foi estrela-cadente… Cintilou
no alto dos céus, num rápido momento,
e… nas sombras da noite se apagou!

Em Os mais belos poemas que o amor inspirou IV/ J. G. de Araújo Jorge,
4ª edição, Editora Rideel Ltda., São Paulo (SP), pág. 74.

Você pode gostar...

Send this to a friend