Hão de Chorar por Ela os Cinamomos… (Alphonsus de Guimaraens)

Hão de Chorar por Ela os Cinamomos…
(Alphonsus de Guimaraens)

Hão de chorar por ela os cinamomos,
murchando as flores ao tombar do dia.
Dos laranjais hão de cair os pomos,
lembrando-se daquela que os colhia.

As estrelas dirão – “Ai! nada somos,
pois ela se morreu, silente e fria…”
E pondo os olhos nela como pomos,
Hão de chorar a irmã que lhes sorria.

A lua, que lhe foi mãe carinhosa,
que a viu nascer e amar, há de envolvê-la
entre lírios e pétalas de rosa.

Os meus sonhos de amor serão defuntos…
E os arcanjos dirão no azul ao vê-la,
pensando em mim: – “Por que não vieram juntos?”

Da obra original “Pastoral aos Crentes do Amor e da Morte”, extraído de Melhores poemas de Alphonsus de Guimaraens/ seleção de Alphonsus de Guimaraens Filho, 4ª edição, Global Editora e Distribuidora Ltda., São Paulo (SP) Brasil, 2001, pág. 109.

Você pode gostar...

Send this to a friend